quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Quase todos os dias eu me deparo com alguma coisa bacana.
Diariamente vejo algo que gostaria de guardar, por uma razão ou por outra.
Em geral, eu guardo.
Mas e depois?

Estranho, mas já nem lembro porque guardei aquilo, porque vi e quis trazer comigo.
Por que diabos trouxe?
O que houve?

Quando a gente começa a se perguntar, percebe que houve um atraso e o que era importante, a ponto de ser guardado, passa a ser... Nada. Às vezes nem lembrança.

Então, podemos nos forçar e manter aquilo ali por perto, mesmo sem entender, só para fazer volume e não dar o braço a torcer. Ou podemos, ainda, fazer aquela limpeza, na casa e na alma, deixando passar tudo aquilo que não nos é mais útil, que não nos completa, não nos faz sorrir, não nos constrói sonhos...

6 comentários:

.Mlle. Cassianne. disse...

E isso se aplica a muita coisa.. concreta ou abstrata.
=/

=**

Auíri Au disse...

É o que nos resta...limpar a casa seja ela fisica ou sentimental para que o novo tome conta..
Beijos

Priscila Guimarães disse...

Por que continuamos a trazer junto de nós (mesmo que involuntariamente) aquelas pessoas que não poderiam vir?
Nos resta renascer e ressurgir das quedas para então ir em busca do novo.

Priscila Guimarães disse...

Olá Ana
Eu estou te presenteando com um selo!Pegue no meu blogger, na postagem do dia 20 de abril. Espero que vc goste e parabéns.
Não se esqueça de seguir todas orientações.
Beijos da Prih!

Déborah Delancy disse...

poxa, que delicia de texto.. aquele que prende a gente até o final..

e sobre o comentário do Auíri Au ali em cima.. recomendo a música "viver coisas novas - danni distler"

é linda!

bisous

www.tooffline.blogspot.com

Anônimo disse...

Ana!

Me identifico com seu jeito de se expressar.

BeijO* Priscila