segunda-feira, 8 de junho de 2009

cut out

Existe uma razão pela qual algumas pessoas aprendem a manejar bisturis. Não sei se é pela sensação de se tornarem cientistas frios e implacáveis ou para fingir que são destemidos. Mas a verdade é que alguns, ainda que lá no fundo, acreditam que podem cortar fora aquilo que nos assombra.
Fraqueza.
Fragilidade.
Morte.


Não são só os cirurgiões. A verdade é que não conheço quem não seja atormentado por algo. Ou por alguém. E tanto faz tentarmos cortar a dor fora com um bisturi ou empurra-la para o fundo do armário, nossos esforços normalmente fracassam. Portanto, o único jeito de limpar as teias de aranha é virar a página... Ou fechar o livro. Para finalmente descansar

6 comentários:

R.Vinicius disse...

"A ilusão é o manto com o qual os Deuses cobrem os homens." Diz a história que a fonte da fraqueza humana está na crença. Uma crença não é apenas uma idéia na mente, mas uma idéia que pode controlar uma mente. Por isso é dito que o homem é aquilo que pensa de si mesmo.

Abraço,

R.Vinicius

Fonseolli disse...

E ai, Ana! Blz???
Espero que sim!
Voltei a escrever algumas coisinhas

www.thiagofonseolli.blogspot.com

passa lá depois!

Abraços

Stella Tavares disse...

Adorei o seu blog, sua forma de expressar e a precisão com que lida com palavras e sentimentos. Ficaria muito honrada com uma visita sua no manual.
Bjos
Stella Tavares

Cassianne Campos disse...

Vc por aki.. achei tu!

E sobre teias de aranha, pano levemente molhado também ajuda, isso se quiser manter o livro na mesma página. como uma bíblia daquelas bem grandes abertas no canto da sala a lembrar alguma coisa que eu já me esqueci o que é.

=***

Juliana disse...

Em algumas vezes, a melhor solução é mudar a página. O problema é que nós insistimos em voltar ao capítulo.
Beijo e adorei o texto :}

Quincas Borba disse...

Não adianta cortar fora a parte afetada, temos que achar o problema que a afetou.

Senão cortaremos e cortaremos até não sobrar nada: só o problema.