quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Prafraseando

(Eu vi isso em algum lugar, já nem lembro onde. Mas achei bacana, da série "coisas que gostaria de ter escrito, sabe?" e parafraseie...)
(Post script: Agora eu já sei que foi da Bud! Eu não tinha visto ainda o blog, mas tudo que vem dela é perfeito. Lembra-me Tati Bernardi, mas as fotos dela - Bud - também são excelentes.)

Talvez eu reescreva isto. Ou talvez apague. Ou deixe, partindo do pressusposto que deixamos tudo muito claro.

Você é incrível e só.
Eu não lembro nem de onde você me tirou, mas não esqueco as coisas que já me disse.
E, sinceramente, pretendia lhe incomodar por muito tempo ainda, esperando, é óbvio, que o próprio tempo agisse. Talvez fosse uma falsa esperança camuflada, mas... Quem sabe aonde nos levarão as conseqüências?
Pois eu preferi, por um período, nem imaginar - agora já o fiz. Imaginei. Sonhei. Iludi. Tracei metas e planos infundados...
Não tem problema. Tudo a gente reconstrói... E esses planos eu posso reconstruir de maneira mais lógica e mais segura.
...
Eu disse que tinha muitas coisas para falar; coisas que calei por que não havia tempo disponível, mas agora fica aquele vácuo que eu tento preencher com palavras.
Você me ensinou um sentimento... Tão egoisticamente altruísta, e tão caridosamente egocêntrico. Bem diferente daquilo que eu estava acostumada - até pela situação em si.
Ele ultrapassa as vontades pequenas, sem se livrar delas. Ele permite que sonhe, sem prometer que realize. E ainda sim é incrível.
Uma vontade imensa e absurda de querer fazer uma pessoa feliz. Não por humanitarismo nem simplesmente por paixão. É por um individualismo doido, como se só assim, exclusivamente assim, se criasse a própria felicidade.
Eu vi em você uma pessoa fofa, cheirosa, legal, interessante, divertida, engraçada, boba, dançante... Mas parece de outra pessoa que não eu. Ainda assim, gosto quando manda mensagem, quando liga, eu gosto quando aperta, quando me olha e não fala nada, gosto quando não pára de falar.
Gosto quando me engana, quando se faz de desentendido, quando ri da minha cara e quando me abraça.
Eu gosto de tudo e gostaria de poder dizer: 'vê se te encontra e me acha'.

5 comentários:

Cassio Cons disse...

O que foi que tu parafraseaste? A primeira frase, a última ou o texto todo?
Se for só a última, eu sei de onde veio...

ãna =) disse...

Foi o texto todo, pegando uma parte de cada lugar, eu acho.
Estavam num documento de Word que vou salvando as coisas que leio na net e gosto.
A frase foi do seu orkut, não?

Cassio Cons disse...

Foice.
O texto ficou parecido com os dessa moça:
http://cervicalpoetica.blogspot.com/
aliás, autora da última frase.

(se me permites referenciar este inspirador blog por aqui...)

ãna =) disse...

Issoooo!
Eu sabia que tinha visto no seu orkut.
E no de Nilson também.

Rosa disse...

cassio, só você ´ra lembrar do que eu escrevo...você é lindo.


ãna, você é sempre muito bem vinda ao meu blog. muito...pra alguém que escreve não ganha nada, um incentivo vale tudo.

beijos, muitos deles.

apareça!